everything ends

janeiro 31, 2010

Hoje estou de luto. Terminei de assistir Six Feet Under em apenas um mês. Nunca tinha assistido uma série fora de época (encerrada) tão rápido. Eu realmente viciei nos Fisher, foi amor a primeiro piloto. Nunca tinha visto um series finale tão belo como foi dessa. Alan Ball sabe o que faz mesmo.

Comecei a ver no começo de janeiro, já tinha visto na Warner alguns soltos, mas lembro que era DUBLADO e nem me animei muito. Porém, o tema me interessou: é sobre uma família dona de funerária. Vi muita gente falando em dezembro/09 e resolvi puxar. Já no piloto, o patriarca da família Fisher, Nathaniel, morre. A partir disso, já é possível conhecer mais ou menos a personalidade de cada personagem (sim, no piloto). Dali para frente não tem como não se apegar, se identificar ou sofrer com eles.

Não pretendo falar da série em si, mas um pouco sobre o final. Só um pouco mesmo, porque ainda estou anestesiada. Achei de uma sensibilidade tão grande que chorei MUITO. Há muito tempo que não chorava de soluçar, de dar ânsia de vômito (quando choro muito me dá, fazer o quê?) vendo uma série ou filme. *A seguir vai ter spoiler leve, caso não tenha visto não continue.

Os episódios de SFU quase sempre começam com uma morte que logo é relacionada com a família Fisher, não só pelo fator “clientela”, mas a morte do começo faz sentido na reflexão de algum personagem. Apenas alguns episódios não começam com morte, mas tem explicação. A série é bem amarrada, redondinha. O final disso tudo é digno, fiel, triste, mórbido assim como todas as temporadas. A Claire indo para Nova York sem ter nada fixo me cortou o coração, me vi ali. E, durante, essa viagem com uma das músicas que o Ted havia gravado (mixtape é amor) vai mostrando como cada personagem da série morre. Assim como deve ser, ninguém fica para a semente e não tem final feliz. A vida é assim!

r.i.p.

O que faz você ficar extremamente emocionado é ver como cada um vai acabar, um por um.. com um certo sentimentalismo, mas sem ser barato. Se acompanhou cinco anos ou um mês, não importa, é cada personagem que você estava acostumado indo embora. Tem um fechamento de vida real. E isso dói!

As mortes que mais me emocionaram foram a da Ruth que vê os Nathaniel pai e filho na porta, e do David que vê o Keith jovem. Eu acredito que seria bacana na hora da morte enxergar a pessoa que você mais amou na sua vida, sabe? Alguém segurando na sua mão, ainda mais se for uma morte mais “leve” (digo, não num acidente de carro etc). A Claire, por exemplo, morreu com 102 anos na cama e cercada de fotos das pessoas importantes de sua vida. Uma morte leve. Não sei mais o que dizer, a morte em si deveria ser encarada de forma simples e pura.. mas ainda é difícil. Enfim, gostaria de falar mais coisas sem apelar para o clichê e é impossível.

Todos me avisaram que o final de SFU era muito emocionante, mas não achei que seria tanto. Parece exagero, mas foi como perder pessoas próximas.. acho que era o objetivo (caso não tenha sido, passou essa sensação). Acredito que vi tão rápido justamente por causa desse famoso final e olha, já sinto falta de todos.

Agora quero ver como será o encerramento de Lost. Essa sim vai mexer com muita gente.

Mas o blog morreu? socorro! Teve Globo de Ouro, SAG, estou terminado Six Feet Under, dei uma pausa em Mad Men, daqui três dias Lost volta com a última temporada. Altas emoções… NOT.

Eu não sei se compensa fazer um post sobre o Golden Globes porque já ficou velho. Porém, gostaria de postar a foto do meu, do nosso, MICHAEL C. HALL. Nosso querido ganhou o Golden Globe de melhor ator merecidamente. John Lithgow também levou. Fiquei emocionada com o discurso dele.. me partiu o coração vê-lo com aquela touquinha e a sobrancelha rala (para quem não sabe ele estava fazendo tratamento contra um linfoma). Mas sabemos que ele está de boa, está melhorando aos poucos, olha isso. no dramzzz!

no time for losers

athoron

Ps:- Michael C. Hall também levou no SAG (Screen Actors Guild Awards). You go, boy!

Créditos das fotos: JustJared e FuckYeahDex

100º de himym

janeiro 9, 2010

Depois de meses ausente, finalmente, voltei! E em outro pais, com um teclado sem acentos, e um fuso horario de 15 horas. Passei um mes sem internet em casa e mais umas semanas me atualizando nas series que acompanho. Nesse meio tempo, muita coisa aconteceu: a Nanda se juntou a Lets no blog (yay, seja bem-vinda migs!) e Dexter teve um final de temporada tao bombastico e chocante e impressionante que eu me recusei a escrever qualquer coisa aqui sem te-lo visto antes. Mas esse meu primeiro post pos-hiato nao sera sobre ele… Sera sobre o centesimo episodio de How I Met Your Mother.


A quarta temporada foi meio irregular, mas essa quinta tem melhorado um pouco (apesar do ultimo episodio exibido antes da pausa de fim de ano ter sido meio bobo).  A serie retorna na segunda-feira, dia 11, com um episodio especial e as criticas que eu li por ali dizem que este numero 100 retoma os melhores momentos e volta a focar na busca pela mae e na jornada do Ted. Para isso, varias participacoes especiais. Ted ira sair com um novo interesse amoroso, interpretado pela Rachel Bilson, e ela tem uma “maldicao”: todo mundo que sai com ela acaba pegando a colega de quarto dela. Sera que a roommate eh a mae? E Barney mais uma vez rouba o show com um numero musical sobre o seu amor por… ternos.

Outras participacoes especiais desta temporada: Amanda Peet e Carrie Underwood.

A Entertainment Weekly fez uma sessão de fotos com os atores de TBBT recriando cenas memoráveis de 2009.

Teve o Leonard de Susan Boyle:

Teve Raj e Penny de Kanye e Taylor Swift:


Teve Penny, Leonard e Sheldon de Crepúsculo:

E a melhor pra mim, sem dúvida. Penny, Sheldon e Howard de Jon e Kate se estapeando:

A cara do Howard como menino do microfone tá impagável.

Oi meninada purpurina. Tudo bem com vocês? Vim aqui compartilhar meu amor pela série que me deu coragem de admitir que amo musicais sem medo de parecer uma psicopata (uma vez uma colega disse que leu uma pesquisa que conectava assassinos em série com a preferência por filmes musicais e violentos, lembrou-se de mim e passou a meique me evitar – o que me fez lembrar daquele filme com a Kathleen Turner que ela mata uma mulher com um pernil assado enquanto passava Annie tocando Tomorrow na TV). Mas ok, I digress.

Ah, Glee. Canto e danço sozinha vendo, falo com a TV, fico de cara com a bruxa da Sue Sylvester (cheguei a ter tanta raiva que fico P da cara quando vejo a Jane Lynch de advogada no L Word ou de psicóloga infantil no Two And a Half Men). Ontem quando o Will deu aquele beijão na Emma enquanto rolava uma versão de Kelly Clarkson ao fundo até dei uma mini shoradynha porque né, it’s meant to be e dá pra ver.

Aliás, o que foi o 13º episódio? Ótimo “fim de temporada” pra novelinha, perceberam como tudo deu certo? Até o fato do Finn saber que o bebê da Quinn não é dele veio a calhar. Ela mostrou um certo sinal de amadurecimento não querendo nem ficar com o Puck e deixou o caminho aberto do Finn pra Rachel – aquela história que ele não quer ficar com nenhuma das duas pra mim foi dorzinha de cotovelo. Tipo se eu não posso ter, ninguém mais pode blá blá blá whiskas sachê, poupe-me Quinnie.

E a touquinha branca de bebê que o Kurt usou nas sectionals? FIERCE.

parece um bebê nhoc nhoc (via gleedaily.com)Parece um bebê, nhoc nhoc (via gleedaily.com)

Ah, o Kurt. Gente, amo esse menino. Sabiam que o ator que faz esse papel, Chris Colfer, nasceu em 1990? NOVENTA. Cinco anos mais novo que eu. Não costumava dar crédito pra pessoas nascidas depois de ’89, mas o Kurt mudou meu ponto de vista. O que é ele cantando Mr. Cellophane pra entrar no New Directions?! Tenho vontade de abraçar a TV naquela mexidinha do cabelo.

Falando nos atores, sabiam que o ator que faz o Artie é dançarino? Ou seja, ele não é paraplégico.

Safado!Safado!

E ele fez True Blood – era o assistente do cara da funerária que virou coroner do sheriff’s dpt. E ele fez parte de uma boy band. Não deve ter mais nenhum fato interessante na vida desse garoto porque né, pô, já fez de tudo.

E o Puck é cantor antes de ser ator. Ele tem uma banda e algumas composições próprias – ele até fez uma música sobre os técnicos, diretores e colegas de elenco que ficou uma gracinha.

O casting pra Glee foi feito de maneira diferente. Os produtores da série saíram por musicais da Broadway escolhendo atores novos que já tivessem treinamento vocal e de palco. Daí saíram a Jenna, Mr. Schue, Rachel e Kurt. Achei bacana pra um série cujo foco é esse mesmo, mais prático assim do que pegar meia dúzia de Zac Efrons e Vanessa Hudgenss e ainda ter que ensiná-los a cantar.

Tá, mais uma curiosidadch pra terminar. A Kristin Chenoweth tem treinamento lírico – a música Defying Gravity (minha preferida by far da trilha sonora) que a Rachel e o Kurt cantam no diva off pra ver quem fará o solo nas sectionals é do musical Wicked, que quem faz é a April Rhodes lokona de dogras. Atoron conexões.

Antes de tudo, vou avisar que teremos uma participante nova. A Dani logo volta, mas para o blog não ficar repetitivo a nossa migs Nanda entrará! Aliás, se alguém quiser mandar alguma resenha de série, fique à vontade, viu? Posto com créditos e tudo mais (mmechanel [@] gmail.com).

Agora vamos com meu Top 5 de aberturas de série:

1) Dexter

AMO essa abertura, acho tão bem feita! quando comecei a ver Dexter ficava com uma larica louca por causa do monte de comida e fritava ovo tips, meia noite! HAHA Teve uma vez que falei o quanto gostava dessa abertura no twitter, e a Rô atentou ao fato que o Dexter faz a barba, mas no final aparece com a dita cuja cerrada no rosto! haha oops! mas perdoamos, porque mesmo assim é foda!

Leia o resto deste post »

Ontem saiu a lista de nominados ao Globo de Ouro 2010. Já houve até manifesto no Twitter por conta do Jim Parsons (Sheldon do The Big Bang Theory) não ter sido indicado! Esse manifesto veio do Kunal Nayyar, o Raj de TBBT que defendeu o colega dizendo:

Dear Golden Globes let me introduce you to a little actor called Jim Parsons on a little show called the Big Bang Theory…

depois:

WTF? How do you snub the Parsons? How?

Pois é, também achei uó não indicarem o Jim Parsons/Sheldon Cooper, pois o cara manda bem. É o mala geek que todo mundo ama, sabe? Senti falta da Jennifer Carpenter também, viu? Ela estava excelente nessa temporada de Dexter (aliás, ela manda bem e ainda é casada com o Michael C. Hall ¬¬). Aquela cena que está ela e o Dexter no estacionamento depois da morte do Lundy é de partir o coraçãozinho.. Ah, o Globo de Ouro será num domingo do dia 17 de janeiro de 2010. Mas tá, agora vou colar alguns indicados e falar para quem estou torcendo: Leia o resto deste post »

Opa, como vai? Primeiramente, acabou Dexter e a season finale foi SODA COM PH. Prefiro não comentar por enquanto, mas escrevi um e-mail para migs Mell e qualquer coisa posto aqui em setembro de 2010. Eu fiquei tão chocada com a cena final que cheguei a ter pesadelo à noite, sonambulando (?) pelo cubículo no qual moro com lençol e cobertor, e parando no sofá (sabe, quando você faz e não lembra? então). E olha, que desejei aquilo muitas vezes, porque né.. chata pra cacildis. Meu lado Madre Teresa falou mais alto e fiquei com dó.

Ok, ok, ok Nelson Rubens, vamos para o que interessa…

topo, por que não? vamô cair prá dentro!

Estou atrasadinha com esse seriado (indo para a segunda temporada), mas AMO. e, por favor, veja essa paródia dos Simpsons com a abertura de Mad Men: aqui (não dá para incorporar o vídeo). gente, eu AMO tanto essa música.. super combina eu e o Jon Hamm dançando num lindo salão, hein? HAHAHA ps:- ODEIO o Peter Campbell, molecote chato.

Volto já com os indicados ao Globo de Ouro..

Crédito da foto: darkpassenger (porque SEMPRE é bom colocar FONTE de onde você acha, NÉ).

Essa é quente! Vai ter um live video chat com o John Lithgow, o Trinity de Dexter no Facebook. Infelizmente o final da quarta temporada está chegando (amanhã!) e é uma boa oportunidade de dar uma palavrinha com esse ator excelente. Alguém lembra dele em 3rd rock from the sun? Eu gostava desse seriado, haha! Enfim:

Do you have questions for John Lithgow (Trinity Killer)? He will be answering fans in a live video chat on Monday at 3 PM ET/PT here on Facebook! Start posting your questions now!

Mandem suas perguntas no facebook, pois na segunda-feira às 3pm ele irá responder. achei muito legal 🙂

Essa cena, essa frase, essa música Soraya Montenegro… enfim, esse final FOI ALGO. Tô realizando as camisetas com a cara do John Lithgow (Trinity) e a frase HELLO, DEXTER MORGAN. Bacana, hein?

e vocês viram o teaser season finale:

Vai ser loucura, paixão, coisa bonita de se ver!