Oi meninada purpurina. Tudo bem com vocês? Vim aqui compartilhar meu amor pela série que me deu coragem de admitir que amo musicais sem medo de parecer uma psicopata (uma vez uma colega disse que leu uma pesquisa que conectava assassinos em série com a preferência por filmes musicais e violentos, lembrou-se de mim e passou a meique me evitar – o que me fez lembrar daquele filme com a Kathleen Turner que ela mata uma mulher com um pernil assado enquanto passava Annie tocando Tomorrow na TV). Mas ok, I digress.

Ah, Glee. Canto e danço sozinha vendo, falo com a TV, fico de cara com a bruxa da Sue Sylvester (cheguei a ter tanta raiva que fico P da cara quando vejo a Jane Lynch de advogada no L Word ou de psicóloga infantil no Two And a Half Men). Ontem quando o Will deu aquele beijão na Emma enquanto rolava uma versão de Kelly Clarkson ao fundo até dei uma mini shoradynha porque né, it’s meant to be e dá pra ver.

Aliás, o que foi o 13º episódio? Ótimo “fim de temporada” pra novelinha, perceberam como tudo deu certo? Até o fato do Finn saber que o bebê da Quinn não é dele veio a calhar. Ela mostrou um certo sinal de amadurecimento não querendo nem ficar com o Puck e deixou o caminho aberto do Finn pra Rachel – aquela história que ele não quer ficar com nenhuma das duas pra mim foi dorzinha de cotovelo. Tipo se eu não posso ter, ninguém mais pode blá blá blá whiskas sachê, poupe-me Quinnie.

E a touquinha branca de bebê que o Kurt usou nas sectionals? FIERCE.

parece um bebê nhoc nhoc (via gleedaily.com)Parece um bebê, nhoc nhoc (via gleedaily.com)

Ah, o Kurt. Gente, amo esse menino. Sabiam que o ator que faz esse papel, Chris Colfer, nasceu em 1990? NOVENTA. Cinco anos mais novo que eu. Não costumava dar crédito pra pessoas nascidas depois de ’89, mas o Kurt mudou meu ponto de vista. O que é ele cantando Mr. Cellophane pra entrar no New Directions?! Tenho vontade de abraçar a TV naquela mexidinha do cabelo.

Falando nos atores, sabiam que o ator que faz o Artie é dançarino? Ou seja, ele não é paraplégico.

Safado!Safado!

E ele fez True Blood – era o assistente do cara da funerária que virou coroner do sheriff’s dpt. E ele fez parte de uma boy band. Não deve ter mais nenhum fato interessante na vida desse garoto porque né, pô, já fez de tudo.

E o Puck é cantor antes de ser ator. Ele tem uma banda e algumas composições próprias – ele até fez uma música sobre os técnicos, diretores e colegas de elenco que ficou uma gracinha.

O casting pra Glee foi feito de maneira diferente. Os produtores da série saíram por musicais da Broadway escolhendo atores novos que já tivessem treinamento vocal e de palco. Daí saíram a Jenna, Mr. Schue, Rachel e Kurt. Achei bacana pra um série cujo foco é esse mesmo, mais prático assim do que pegar meia dúzia de Zac Efrons e Vanessa Hudgenss e ainda ter que ensiná-los a cantar.

Tá, mais uma curiosidadch pra terminar. A Kristin Chenoweth tem treinamento lírico – a música Defying Gravity (minha preferida by far da trilha sonora) que a Rachel e o Kurt cantam no diva off pra ver quem fará o solo nas sectionals é do musical Wicked, que quem faz é a April Rhodes lokona de dogras. Atoron conexões.

Anúncios